Mesmo com abril desfavorável, MS mantém saldo positivo na criação de empregos em 2020, diz Caged

Apesar de mês de abril desfavorável, Mato Grosso do Sul mantém saldo positivo na criação de empregos em 2020, conforme o Caged — Foto: Reprodução/TV Morena

O estado de Mato Grosso do Sul continua com saldo positivo de empregos em 2020, mesmo diante da pandemia do novo coronavírus. Os dados atualizados de vagas de trabalho foram divulgados nesta quarta-feira (27), pelo Ministério da Economia, através dos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

De acordo com o Caged, o estado continua, em 2020, com 734 empregos criados, no saldo entre contratações e desligamentos de trabalhadores com carteira assinada, entre janeiro e abril. O número positivo, porém, sofreu uma grande queda desde a chegada do coronavírus em Mato Grosso do Sul, no mês de março. Até então, o estado estava com um saldo positivo de mais de 6 mil vagas de trabalho criadas, entre janeiro e fevereiro.

Em março, a criação de empregos desacelerou, com apenas 20 admissões a mais do que demissões, com o início do fechamento de muitos comércios e indústrias no estado, além de restrições de biossegurança decretadas pelo governo e por diversas administrações municipais. Conforme o Caged, o saldo de abril foi negativo, com 6.992 vagas de emprego a menos do que no mês anterior.

Os setores que mais sentiram os efeitos da crise foram o comércio, que registrou queda de 2.644 empregos e serviços, com 3.138 vagas a menos. Só na capital Campo Grande, foram mais de 4 mil vagas fechadas. Outras cidades do estado bem atingidas foram, Três Lagoas, com queda de 889 vagas, Dourados, com 562 e Bonito, cidade turística que registrou 206 demissões a mais que admissões. Sonora foi o destaque positivo, com 286 oportunidades de emprego a mais do que em março.

Brasil apresenta pior resultado para um único mês em 29 anos

De acordo com o Caged, em março, quando os efeitos da crise do coronavírus começaram a ser sentidos, foram fechadas 240.702 vagas formais no país. Já no mês de abril, a eliminação de vagas de trabalho formais se acelerou: foram 860.503 postos fechados, o pior resultado da série histórica da Secretaria Especial de Trabalho e Previdência do Ministério da Economia, que tem início em 1992.

Com isso, foi a maior demissão registrada em um único mês em 29 anos. O resultado de abril vem da diferença entre as contratações (598.596) e as de demissões (1.459.099) registradas no mês. O setor de serviços foi o que mais demitiu. Foram fechadas 362.378 vagas neste setor apenas no mês de abril.

Empregos abril com dados do Caged — Foto: Arte-G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *