MS lança campanha ‘Alô vizinho’

Uma parceria entre vizinhos pode ajudar a combater a violência doméstica, principalmente no período de pandemia de Covid-19. O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), lançou a campanha “Alô vizinho!”, que já é utilizada em dez estados.

“Aderimos a campanha por que acreditamos que o enfrentamento da violência doméstica é um dever de todos, ainda mais nesse momento de isolamento em que as mulheres vítimas de violência doméstica estão convivendo em maior período com o agressor. A denúncia de um vizinho ao escutar ou presenciar uma agressão pode salvar a vida dessa vítima”, afirma Luciana Azambuja, Subsecretária Estadual de Políticas Públicas para Mulheres.

O material informativo da campanha indica os canais para o registro de denúncias. A campanha divulga o número 180, o aplicativo Direitos Humanos Brasil e o endereço do portal da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos (ONDH). Além disso, apresenta orientações de segurança para as mulheres e informações com exemplos de atos de violência previstos na lei Maria da Penha.

Conforme a delegada da Polícia Civil do Distrito Federal e diretora do Departamento de Políticas de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), Grace Justa, a campanha teve início no Distrito Federal por iniciativa da Coordenadoria com o objetivo de envolver toda a sociedade, muito naquela linha de ‘meter a colher’.

“É necessário que a sociedade reconheça que é responsável pela segurança e a proteção das mulheres em situação de violência (..), pensamos nessa campanha para os condomínios pois são grupos de pessoas no mesmo lugar, na mesma condição e a ideia foi muito bem aceita”, diz a delegada.

A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), coordenadora da campanha disponibilizou o material gráfico que já conta com o apoio do Estado. O download pode ser realizado pelo link: https://www.secid.ms.gov.br/campanhas/

Além do Mato Grosso do Sul, os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Goiás, Maranhão, Paraná, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Lembrando que por meio da central do Ligue 180, é possível registrar denúncias e obter informações sobre os direitos das mulheres, inclusive com garantia de anonimato. O serviço funciona 24 horas, todos os dias, inclusive finais de semanas e feriados. Pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil e de vários outros países no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *