Coronavírus: MS tem 708 novos casos.

7 óbitos e total de infectados se aproxima de 13 mil

Boletim mostra avanço de quase 6% no total de pessoas que contraíram coronavírus no Estado nas últimas 24 horas; doença já matou 153 pessoas.

Boletim divulgado na manhã desta sexta-feira (11) pela Secretaria de Estado de Saúde aponta que Mato Grosso do Sul já se aproxima dos 13 mil casos de (Covid-19) e totaliza, até o momento, 153 mortes causadas pela doença. Foram 708 novos casos e 7 óbitos somados aos números do Estado nas ultimas 24h.

Conforme dados apresentados pela secretária-adjunta de Saúde, Christinne Maymone, o Estado chegou a 12.969 casos positivos de coronavírus desde o início da pandemia. Houve 68.481 casos notificados, dos quais 50.027 já foram descartados. Há, ainda, 2.521 amostras em análise no Lacen (Laboratório Central), em Campo Grande, e 2.964 casos aguardando encerramento dos municípios para confirmação.

O total de pacientes recuperados de Covid-19 no Estado (8.329) equivale a quase 70% dos casos totais, representando ainda quase o dobro do total de casos ativos (soma dos isolados e hospitalizados, 4.487).

Em relação ao boletim de sexta-feira (10), houve o acréscimo de 708 novos casos e de 7 óbitos –entre eles um caso de Camapuã, de um rapaz de 25 anos que tinha quadro de asma, registrado ainda em junho e que teria demorado a ser inserido nas estatísticas estaduais por demora do município, como destacou o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende.

Todos os novos óbitos foram de homens com comorbidades. Integram as estatísticas mortes pela doença em Campo Grande (74 anos), Sidrolândia (74 anos), Mundo Novo (66 anos), Aparecida do Taboado (72 anos), dourados (69) e Rio Brilhante (um homem de 55 anos, cujo óbito foi anunciado ainda na tarde de sexta-feira).

Em 11 dias, o total de mortes no mês de julho já se aproxima do recorde registrado em junho, quando 70 pessoas pereceram no Estado por conta do coronavírus. Até o homem foram anunciados 63 óbitos, mantendo a taxa de letalidade da doença em 1,2% dos casos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *