Com 38.393 casos, Covid-19 segue crescendo m MS puxada pela capital

Mato Grosso do Sul registra nesta terça-feira (18), 38.393 casos de Covid-19, e segundo o secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende, a doença está em “crescimento exponencial”, puxada por Campo Grande, que registrou 528 casos novos.

“Dados mostram claramente a média móvel de 833 por dia, dos últimos 7 dias. Campo Grande é a cidade que mais contribuiu para o crescimento: 424 casos em média […] Esse número ‘contaminou’, de certa forma, o enfrentamento de Mato Grosso do Sul à doença, transformando Campo Grande no epicentro da doença no nosso estado”.

Conforme o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (18), do total de casos da infecção pelo novo coronavírus, 657 pessoas morreram, 6.746 estão em isolamento domiciliar, 30.483 estão recuperadas e 507 internadas, sendo 269 em leitos clínicos e 244 em UTI. Estão ainda hospitalizados em Mato Grosso do Sul 6 moradores de outros estados.

“Se tivéssemos mantido mesmo número de leitos de 1 mês atrás, estaríamos com 110% de leitos ocupados. Ou seja, faltaria leito. A nossa sorte foi que, em conjunto com a Sesau de Campo Grande, foram viabilizados novos leitos”, lembrou Resende.

A taxa de ocupação de leitos no estado é de 56 %, sendo em Campo Grande: 78 %; Dourados: 77 %; Três Lagoas: 42 % e Corumbá: 67 %.

“Vamos alcançar em agosto 400 óbitos seguramente, se não tivermos medidas que levem ao isolamento e que contribuam para que possamos cessar o crescimento da doença em Campo Grande, Corumbá e outras cidades da microrregião de Campo Grande”, disse o secretário.

São 160.032 casos notificados e há em análise 2.658 amostras de materiais. Também há 3.369 casos em que os municípios precisam dar encerramento e comunicar à SES.

Geraldo Resende informou que a nova máquina para análise de amostras já chegou ao estado. “Muito moderna, para agilizar os testes em Mato Grosso do Sul. Ministério da Saúde deve mandar outra na próxima semana. Assim, Mato Grosso do Sul pode ser autossuficiente. Ministério da Saúde também sinalizou que o estado poderá enviar até 2 mil testes para análise no Instituto Dasa”.

“Nós nos antecipamos e a todo momento fazemos ações para não deixar ninguém sem testes, sem leitos e minimizar ao máximo os efeitos dessa doença”, falou o secretário.

Fonte: g1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *