Motorista testava carro de um cliente quando atingiu a vítima, na avenida Guaicurus

Deficiente visual, Edson Carlos Silva Carvalho, de 53 anos, morreu atropelado por um carro, no início da tarde desta sexta-feira (28), na avenida Guaicurus, em Campo Grande.  

De acordo com testemunhas, Carvalho teria tentado atravessar a avenida, quando foi atingido pelo veículo, conduzido por um homem identificado pelas iniciais J. D. N. F.

Cabo Denis, da Polícia Militar, disse ao Correio do Estado que o motorista trabalha em uma loja de peças e serviços automotivos e testava o carro de um cliente, quando houve o acidente.  

Segundo ele, vítima tentou atravessar a rua e o condutor não o viu, atingindo o homem, que foi arremessado contra o parabrisa do carro.  

Um médico passava pela avenida no momento e parou para socorrer a vítima. Ele tentou diversas manobras de reanimação, sem sucesso.

Corpo de Bombeiros foi acionado, mas quando chegou ao local o homem já estava morto.

Conforme o 1º tenente do Corpo de Bombeiros, Diego Garcia Baumgardt, o pedestre não era cego, mas tinha baixa visão e fazia uso de uma bengala para caminhar.

Vizinha da vítima, que preferiu não ser identificada, disse que Carvalho morava sozinho e sempre atravessava a via, com ajuda de funcionários de uma loja de uma borracharia.

Hoje, no entanto, funcionários saíram para almoço, não viram o homem para oferecer a ajuda e ele tentou cruzar a rua sozinho.

Testemunhas disseram que já pediram diversas vezes a instalação de uma faixa de pedestres e um sinal sonoro, para travessia de deficientes visuais, na Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), devido a ser uma via expressa, com muito movimento de carros e vários em alta velocidade.

Os pedidos ainda não tiveram resposta.

“Motorista ficou bastante agitado e em estado de choque”, disse Baumgardt. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil para esclarecimentos.

Perícia foi feita no local para apontar as circunstâncias do acidente. 

Expectativa é que uma pizzaria, que tem câmeras de segurança, tenha registrado o acidente e possa ajudar na apuração

 

 

Fonte:/correiodoestado.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *