Fiocruz identifica 2 linhagens diferentes do coronavírus no Pantanal

Pesquisa desenvolvida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), divulgada nesta semana, identificou duas linhagens do novo coronavírus na região do Pantanal. Uma delas, frequentemente encontrada na Europa, se espalhou por todos os continentes e a outra é exclusiva das Américas, recorrente no Brasil, Estados Unidos e Argentina.

A partir de estudos feitos em parceria com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) na região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Bolívia, foram sequenciadas seis amostras coletadas em agosto, nas quais foram identificadas as linhagens do SARS-CoV-2, a “B.1.1.28” e a “B.1.1.33”.

Segundo a Fundação, essas foram as primeiras sequências do genoma das linhagens do coronavírus circulando em Mato Grosso do Sul a serem identificadas e estarão disponíveis à comunidade cientifica mundial por bancos de dados internacionais.

As análises feitas na região pantaneira fazem parte de ação de apoio que tem objetivo de conhecer características específicas de como o vírus se desenvolveu em Corumbá e nos municípios próximos, de forma “a contribuir nas tomadas de decisão” por parte das secretarias municipais e Estadual de Saúde.

O mapeamento genético tem sido feito a partir de amostras coletadas das atividades do drive thru realizado em parceria com a SES (Secretaria Estadual de Saúde). Ainda segundo publicação, tentar entender o comportamento do vírus ao longo do tempo é importante para verificar as consequências da virose e afetar ensaios diagnósticos.

Covid-19 em Corumbá – Em setembro, aumentou taxa de mortalidade das cidades do Estado e verificou que Corumbá possui a maior relação de mortes pela covid-19 para cada mil habitantes.

Até então, a assessoria de imprensa da prefeitura do município reforçou criação do Comitê Municipal de Vigilância à Mortalidade por suspeita do novo coronavírus. “Com caráter técnico e consultivo, o grupo tem a atribuição de analisar e investigar os óbitos suspeitos ou confirmados de coronavírus, síndrome respiratória aguda, síndromes clínicas associadas à covid”, dizia nota publicada.

Na Amazônia – Em julho, a Fiocruz havia identificado três linhagens do vírus no estado do Amazonas, todas presentes na capital, Manaus. Além disso, também foi identificada circulação de forma mais aleatória em outras cidades, espalhadas pela Amazônia.

Ainda de acordo com o estudo, esses genomas são frequentemente encontrados em amostras de outros países como Austrália, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

FONTE: Campo Grande News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *